Pré-candidato a deputado estadual, Luizinho Sobral faz grave denúncia contra procurador e juiz de Irecê-BA

O ex- prefeito de Irecê e pré-candidato a deputado estadual, Luizinho Sobral, representou contra o juiz José Onofre Alves Júnior, titular da 95ª Zona Eleitoral e do 2º Juizado Especial de Irecê, no Conselho Nacional de Justiça, Conselho da Magistratura, Corregedoria do Tribunal de Justiça da Bahia, Ministério Público Eleitoral e Corregedoria do TRE/BA.

Na denúncia, Sobral demonstra, através de fotografias divulgadas nas redes sociais, momentos de lazer e convívio familiar, inclusive, entre o juiz José Onofre e o procurador do Município de Irecê, Alex Machado, que participa do grupo político que faz oposição ao ex-prefeito. Segundo Sobral, erra relação tem comprometido a sua imparcialidade, a obrigação de cumprimento do exercício do dever legal e favorecimento ilegal em favor do mesmo, mediante a prolação de decisões consideradas contraditórias e tendenciosas pelo ex-prefeito.
Ainda de acordo com Sobra, estaria havendo antecipação de informações processuais, além do excesso de prazo para prática de atos processuais praticados com o objetivo de ocasionar prejuízos ao ex-prefeito. De acordo com Luizinho Sobral, “o Juiz tem agido com o fim exclusivo de persegui-lo politicamente e vem dando decisões judiciais nulas e contraditórias, que afrontam a legislação processual, como no caso em que no mesmo mês ele aplica uma multa de 53 mil reais ao Site Caraíbas Fm por publicação de pesquisa eleitoral sem registro, mas em outras decisões, ele arquiva processos movidos contra o Instituto de Pesquisa João Gonçalves- ME, de propriedade do atual Secretario de Governo de Irecê, João Gonçalves, e o outro contra o atual Prefeito de Irecê Elmo Vaz, que cometeu o mesmo crime eleitoral ao divulgar pesquisa impugnada pela Justiça na véspera da eleição de 2016”.
O ex-prefeito reclama que as representações eleitorais intentadas perante o referido juiz, durante a disputa eleitoral de 2016, teve pedidos liminares que nunca foram apreciados, tendo sido sentenciados por perda do objeto mais de um ano depois. Outra evidência relatada por Sobral foi a improcedência da Ação de Investigação Eleitoral intentada contra o atual prefeito, Elmo Vaz, que foi julgada improcedente sem permitir a produção de provas.
Luizinho Sobral afirma que o juiz, recentemente, mais uma vez antecipou para os membros da oposição que está preparando outra decisão que será dada contra ele nos próximos dias, no processo que envolve uma rádio local nas eleições de 2012, há 6 anos. Sobral afirma que notícia já circula na cidade e o resultado já foi divulgado antecipadamente por um sub-secretário do município na sua página de Facebook.
Mesmo com as decisões do juiz local em primeira instância, Luizinho afirma que sua pré-candidatura está de pé. “A conduta do magistrado reflete o receio da oposição diante da consolidação da minha pré-candidatura à Deputado Estadual. Seguirei confiante o meu caminho, na certeza de que a Justiça será feita”, concluiu.

Comente essa matéria