Campanha de Haddad acumula dívida de R$ 3,8 milhões; Diretório Nacional do PT assumirá débit

Derrotado por Jair Bolsonaro (PSL) na corrida presidencial, Fernando Haddad (PT) encerrou a campanha eleitoral com uma dívida de R$ 3,8 milhões, segundo prestação de contas final apresentada pelo próprio presidenciável ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no último sábado (17).
De acordo com os dados informados, a campanha de Haddad teve despesas de R$ 39,2 milhões e arrecadação de R$ 35,4 milhões. Contudo, apenas R$ 33,6 milhões foram pagos.

O Diretório Nacional do PT afirma, em documento anexado à prestação de contas, que “assumirá as dívidas contraídas e não quitadas pela campanha” e que a quantia será paga “via fundo partidário ou através de recursos que serão depositados na conta bancária específica de campanha, observados os requisitos da lei eleitoral”.

O prazo para a entrega das prestações de contas de todos os candidatos ao segundo turno – presidentes e governadores – se encerrou no último sábado. No entanto, o TSE ainda não informou quantos entregaram.

Comente essa matéria